Guitarra, violão e baixo. O único curso direcionado ao seu objetivo.

Aqui você encontrará materiais para leitura, videos e muita informação sobre equipamentos, efeitos e dicas gerais.

Captadores

As duas coisas que mais afetam o timbre de um captador são a força do ímã e a maneira como a bobina é feita.



Em geral, quanto mais forte é o ímã, mais volume tem o som e mais acentuadas são as frequências agudas. Embora os ímãs enfraqueçam gradativamente com o passar dos anos, isso nem sempre é considerado como uma desvantagem. Na realidade, a demanda por captadores com som “antigo” é tão grande que o fabricante norte Americano Seymour Duncan fornece captadores em que os ímãs são envelhecidos artificialmente.

Outros fabricantes, como a Alembic, utiliza ímãs cerâmicos ou piezelétricos, que são mais baratos, mais duráveis e produzem uma saída mais potente.

Bobinas de captadores diferem entre si quanto à espessura do fio usado e quanto ao número de espiras. Fio Delgado oferece maior resistência ao fluxo de corrente do que fio mais espesso. O aumento do número de espiras dá maior impedância à bobina e aumenta o volume, mas, ao mesmo tempo, reduz a resposta de agudos.

A impedância de trabalho de um captador é de medida difícil sem equipamento sofisticado. Por isso então, ao se determinar o desempenho provável de um captador, é comum medir a resistência da bobina a corrente continua. No entanto, já quem considere o pico de ressonância como a melhor indicação de qual será o som real do captador. Um pico de ressonância ocorre no ponto do espectro de áudio em que o captador é mais eficiente na reprodução do som da guitarra. Se um captador tem pico de ressonância perto da extremidade superior de seu espectro de frequências, dará mais ênfase aos agudos. Se o pico for mais baixo, a ênfase maior será nas frequências medias. O uso de um grande número de espiras na bobina, ou de ímãs mais fracos, reduz o pico de ressonância do captador. Reciprocamente, menos espiras e ímãs mais fortes podem inibir a vibração das cordas.

Tudo isso significa que especificações de captadores podem, na melhor das hipóteses, ser confusas e, na pior, enganosas. O melhor julgamento de um captador é a partir de seu som e da medida de sua resistência ao fluxo de corrente continua.

Conheça alguns modelos

DiMarzio VS-1 – Réplica do captador Stratocaster de 1950. DiMarzio TDS-1 - Bobina simples, com extensões polares ajustáveis e divisor de bobina coaxial. Bill Lawrence L-250 – Uma única lamina substitui extensões polares individuais. Este é um humbucker coaxial, na forma de um captador de bobina simples. Seynour Duncan Invader – Humbucker de alta saída para rock. Possui extensões polares aumentadas, de ferro. Seymour Duncan SP90-1b "Vintage" P-90 Soapbar - Posição ponte com capa preta. Introduzido em 1937, os P-90 Soapbar's foram os captadores mais populares usados pela Gibson. Seymour Duncan SCR-1b Cool Rails for Strat, Bridge - Captador com o mesmo design do Hot Rails, porém com um timbre mais limpo e dinâmico. Fala mais alto que captadores como SSL-1 Vintage Staggered e STK-S2 Hot Stack, o captador Cool Rails foi criado para os guitarristas que precisam de um captador potente no estilo de um single-coil. Disponível com quatro condutores. Recomendado para blues, classic rock, jazz-rock fusion, heavy rock e instrumental agressivo de rock. EMG SA Set - combina os atributos da sonoridade das primeiras Strat com maior ênfase nas freqüências médias e uma saída de nível mais alto, proporcionando harmônicos gritantes e sustain incrementado. Uma única barra de Alnico oferece o clássico overdrive com uma suave distorção nas freqüências médias, enquanto se mantém fiel à sonoridade de um single-coil normal. EMG-KH21 Kirk Hammett - Este é um sistema simples 81/85, combinação que ultiliza da força dos ímãs cerâmicos e próximas aberturas dos coils, dando ao tone uma intensidade mais detalhada, incrível quantidade de high e cut e sustain. Este sistema vem com dois volumes e um master tone todos ligados a um escudo custom de 11 furos branco perolizado contrastando com os knobs pretos. DiMarzio DP102 X2N - Tem o maior ganho da linha desenhado para ser usado em amps valvulados, no máximo de overdrive. Dupla barra de imãs dão ao X2N® um visual displicente! De longe o X2N é o + "forte" este pickup é indicado para Trash Metal e Punk é um captador que satura muito, é pra usar com distorção bem pesada. DiMarzio DP100 - Esse captador começou uma revolução sonora. Captadores de reposição simplesmente não existiam antes da invenção do Super Distortion® no início dos anos setenta. O Super Distortion® (e sua versão original com fiação de 3 cabos condutores, o Dual Sound®) foi o primeiro captador especificamente projetado para mandar um amplificador valvulado para distorção total, e ainda é a referência a qual todos os outros captadores de alto sinal de saída são medidos. O Super Distortion® tem uma mistura perfeita de força e som: tanto as notas simples quanto os acordes pulam para fora dos falantes e preenchem o espaço (ou a faixa) com uma parede sonora. O balanço de sons é classicamente grosso, com médios reforçados, graves grandes e agudos cheios. Esse é o som que você ouviu por mais de três décadas em gravações em platina, de guitarristas variados como Ace Frehley, Al Di Meola e Paul Gilbert. Também é versátil: fiação de 4 cabos condutores permite acesso instantâneo aos modos tipo Strat® divididos e série-paralelo. Descubra o que milhares de grandes guitarristas sabem; o Super Distortion® é o melhor captadorarredondado de alta força já feito. DiMarzio Evolution - modelo humbucker para braço e ponte são o resultado de dois anos de pesquisa para chegar ao som certo de um guitarrista muito exigente: Steve Vai e suas Ibanez® Jems. Ambos captadores são projetados para máximo poder e impacto. O captador de braço é cheio, impactante e alto. O captador de ponte é firme, agressivo e mais alto. Os dois captadores possuem nossa patenteada configuração de dupla ressonância para reproduzir mais harmônicos superiores do que os humbuckers convencionais. Os captadores Evolution® não soam delicados, e não são para o inexperiente, mas - se você tem a manha e um amplificador quente - seu som vai pegar fogo. Os captadores Evolution® foram projetados para tocar ao vivo, mas eles têm tanta presença e definição que também os fazem ótimos captadores para gravação; eles cortam em pedaços até o mix mais denso. O DiMarzio Bluesbucker visualmente é parecido como um humbucker padrão, mas soa como um P90, isso quer dizer que qualquer guitarra com humbucker tamanho padrão pode agora ter o timbre do P90 sem alterar a guitarra e sem ruído. Splitando o captador produz um som similar do captador de uma guitarra Strato, com uma pequena queda no nível de saída. Captadores Gibson – Os mais famosos são os humbuckers “PAF, instalados nas guitarras Les Paul, entre 57 e 60. Minhas dicas:

No Youtube tem vários videos demonstrando a sonoridade dos captadores. Só fique atento ao que é utilizado como saída, pois o timbre do amplificador pode influenciar na sonoridade e no seu julgamento. Se puder, vá a uma loja e teste guitarras com captadores diferentes usando um mesmo amplificador. Outros fatores como madeira do corpo e do braço também modificam o timbre, mas mesmo assim, você poderá ter uma idéia da diferença entre os captadores existentes.


Últimos posts:

Arquivo:

Rod. Castelo Branco, km 196 - Pardinho - São Paulo / CNPJ 32.771.734/0001-60                                                                                                          @2019 by Roberta Peregrinaldi